Artigos

[Artigos][bleft]

Notas Musicais

[Notas Musicais][twocolumns]

[Resenha] Rapunzel & o Reino das Trevas, de Alex de França Aleluia

Foto: Pixabay

Rapunzel é um famoso conto de fadas bem popular. Atire a primeira pedra quem nunca leu ou ouviu a célebre frase: “Rapunzel, Rapunzel, jogue-me suas tranças!”. Em Rapunzel & o Reino das Trevas a base é mantida, mas algumas características estão modificadas, principalmente no que diz respeito ao príncipe. A obra é uma releitura do conto de fadas original.


José e Maria passaram alguns bons anos de suas vidas juntos tentando ter um filho, porém todas as tentativas sem sucesso. Até que um dia, Maria procura ajuda de um sacerdote do reino que faz uma previsão a ela dizendo: “de você sairá a salvação de um reino”. Incrédula, Maria provoca a ira do sacerdote que a expulsa do templo.

Dias depois, José e Maria passaram a observar a sua nova vizinha, uma misteriosa senhora solitária. Maria acabou se tornando amiga da senhora, que prometeu ajudá-la com seu desejo de ter um filho. E de fato, de alguma forma, a senhora misteriosa acabou por ajudar Maria que, mais tarde, “deu à luz a uma menina linda, branca como a neve e de pele macia como o algodão”. A partir daí a história segue com o retorno da bruxa, fugas, rapto de bebê, mistérios e, claro, a descoberta do primeiro amor.



O professor Alex de França Aleluia, através do seu Rapunzel & o Reino das Trevas, consegue entreter e encantar usando a escrita de forma brilhante, fazendo com que o leitor fique grudado no livro ansioso por mais e mais da história. Com temas interessantes como o dilema de um casal que não consegue ter filhos, a inveja e a vingança, a obra contribui com a prática pedagógica do orientador educacional, uma vez que a criança (e até mesmo o adulto) se identifica com eles e isso pode proporcionar uma maior compreensão do mundo e de si própria.


Assista um vídeo do autor livro, o professor Alex, falando sobre Rapunzel:










Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Um comentário :