Artigos

[Artigos][bleft]

Resenhas

[Resenhas][twocolumns]

Conheça o escritor José Vilela e suas obras.



José Vilela é roraimense de nascimento, mas seu coração está presente em diversos estados brasileiros por onde morou. Graduado em Comunicação social, com habilitação em Jornalismo, iniciou a faculdade em 1977 na Unisinos, em São Leopoldo (RS), e concluiu na Universidade Federal do Amazonas em 1981. Trabalhou aproximadamente dez anos, como professor na rede de ensino público. 

No jornalismo, prestou serviço como repórter, chefe de reportagem, editor e correspondente no interior. Trabalhou em jornais diários, semanários, revistas e informativos de empresas e de sindicatos. É assessor de Imprensa do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Roraima (Sindsep-RR) desde julho de 2005.

Vilela tem 13 livros editados: "Os agricolinos" (1983); “Você tem muito de sozinho” (1984); "Os bravos de Oixi: índios em luta pela vida" (Vozes/1994), traduzido para o italiano com o título "Gli eroi di Oixi" (1995); "Eu sou MM" (1998); "Xununu Tamu: uma saga indígena" (1998); "A chave do impossível" (1998); "Macaco velho não pula em galho seco" (1999); "Rapadura é doce, mas não é mole" (1999); "Fragmentos da história do Sindsep-RR" (2005); "OAB Roraima: um resgate histórico" (2009); "O Guru da Floresta" (2013); "João Ferreira Mota sem fronteiras: biografia de um migrante que trocou o Maranhão por Roraima" (2014); "O Profeta da Irreverência" (2017).

Aqui no blog, vou trabalhar três livros do autor: "Rapadura é doce, mas não é mole" (1999); "O Guru da Floresta" (2013) e "O Profeta da Irreverência" (2017). Irei apresentar a vocês todas as obras do autor, mas esses três livros serão os que vou me aprofundar aqui no blog através do #ProjetoLiNa, apresentando todos os detalhes sobre eles pra vocês. Então, vamos conhecer um pouquinho dessas obras?

#EuTambémLeioLiteraturaNacional

Abaixo vocês podem ler a sinopse dos três livros do autor, que estão em circulação e também onde encontrá-las:

"O Guru da Floresta" é uma história de amor, que ocorre na Floresta da Vovozinha, no extremo-norte do País da Mamata, no tempo que os bichos falavam, com críticas político-sociais da atualidade.
O protagonista dessa narrativa é Macaco Pancoso (um guariba-vermelho), que disputa o amor da índia Pena Azul, com outros dois personagens: a Onça Macho e o índio Zangalhão.
Uma obra indicada para jovens e adultos, com direito a humor satírico e aventuras tragicômicas.
Obs: “O Guru da Floresta” foi usado por dois anos como leitura obrigatória no Vestibular da Universidade Federal de Roraima (UFRR).
(Entrelinhas Editoras/Cuiabá, ano 2013, 140 páginas, formato 13x21 cm).

"O Profeta daIrreverência" é a continuação da saga do Macaco Pancoso. No Guru da Floresta ele conta sua vida de anti-herói na Floresta da Vovozinha; no Profeta da Irreverência ele relata suas peripécias na Capital da Pizza, onde ele foi fazer carreira política e terminou eleito como o deputado federal mais bem votado daquele pleito.
O Profeta é uma pedra no sapato da "Máfia da Alma", que são os sacerdotes e políticos safados, manipuladores do povo tupiniquim. Leitura indicada para adultos que pensam fora da caixinha...
(Edição do Autor/Boa Vista, ano 2017, 104 páginas, formato 14x21 cm)


"Rapadura é doce, mas não é mole" é uma fábula. Conta a história do Tamanduá-bandeira e seus quatro genros: o Martim-pescador, o Jacaré, o Carrapato e o Pica-pau. O livro é uma tragicomédia, que leva o leitor a refletir sobre os dons de cada ser humano, o preconceito entre raças e os limites da terceira idade. Indicado para crianças e adultos.
(Edição do Autor/Boa Vista, ano 2017, 48 páginas, formato 14,5x21 cm)





Os livros do escritor José Vilela podem ser encontrados nos sites www.artepraviver.com.br www.livronauta.com.br ou diretamente com o autor no e-mail: jvm.autor@gmail.com

Telefone para contato: (95) 99904.7379.

"O Guru da Floresta", no formato digital (e-book), pode ser encontrado na Livraria Cultura e Amazon Brasil.


Poste um comentário
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Nenhum comentário :