Artigos

[Artigos][bleft]

Notas Musicais

[Notas Musicais][twocolumns]

Entrevista exclusiva com o escritor moçambicano Ernesto Moamba.



Ernesto Moamba é um escritor único. Se auto-intitulando “o filho da África”, consegue transmitir em palavras suas emoções mais íntimas. Prova disso está no seu livro “Liberta-te, mãe África”, lançado em 2016 no Brasil pela Editora do Carmo. A obra é composta por sessenta e seis poemas e cada um deles transmite uma emoção diferente, seja por um grito de dor ou de lamento, seja por um grito de socorro, ou seja por um grito de esperança.

O escritor nasceu no dia 04 de agosto de 1994, em Moçambique, África. Um rapaz tão jovem e com uma escrita tão forte, é formado em Contabilidade Geral Básica e Financeira, Gestão de Materiais e Educação Financeira, embora sempre escrevia no meio dos numeros.
Escritor e admirável poeta, já produziu diversos trabalhos literários como contos, crônicas e poesias em escolas, jornais, revistas e nas redes sociais.

Em entrevista concedida ao blog O Viajante das Estrelas, Moamba fala um pouco sobre o seu mais recente livro, poesias, a carreira de escritor e o futuro:

OVJ: Moamba, conte um pouco sobre seu livro, “Liberta-te, mãe África”. Como começou a ideia de escrevê-lo? E, claro, como ele chegou ao Brasil?

Ernesto Moamba: Como comecei a escrever? sublinho a questão de vasta importancia no que diz respeito ao meu envolvimento elouquente com o mundo das letras.
Diria que a paixão pela escrita surge espontaneamente como fruta de uma causa justa, È como alguem que dorme saudavél e de dia para noite acorda doente, creio que a sua primeira impreensão è procurar um medico para lhe diagnosticar, certo...foi assim que aconteceu comigo, durante a minha infância estava mais proximo dos meus avós, e eles foram um ouro para mim, visto que diariamente repousado numa fogueira ou não eles contavam-me historias reais do seu passado que viveram na flor da pele, como por exemplo sobre a escravidão e o colonialismo que defrontava no continente e no país (Moçambique) e cada dia que engolia estas palavras recheadas de tristeza e dor criavam uma revolta em mim e foi piorando quando ja crescido pessoalmente passava por alguns momentos dificieis, facto que levou-me a rabiscar pequenos e miseraveis poemas, se è que no tempo poderia chamar aquilo de poema.
Embora na mesma epoca escrevia letras de musicas e com um grupo de amigos no bairro da polana caniço, minha actual residencia, gravavamos cd's em pequenos estudios. concretamente hip-hop underground...E assim foi por muitos anos, porque a musica tambem é poesia, mas em forma de canto.
O livro rasga oceanos ate ao brasil graças a Editora do Carmo que ficou encantado com o meu genero em textos como dizia a Iranete do carmo, esposa do editor Evan do Carmo visto que diarimente publicava na minha pagina de facebook, e certo dia a editora entra em contacto com a proposta de ediçäo do livro e veio conscidir porque ja tinha o livro escrito mas o que infelizmente faltava-me era oportunidades de coloca-lo numa edição. sinceramente quando apreciei a proposta, achei balsamo e resolvi agarrar a oportunidade, e foi assim que surgiu meu primeiro filho.
Um livro de poesia que carrega a sina da África.

OVJ: Como você trabalha a composição de seus poemas? O que te inspira?

Ernesto Moamba: A minha fonte primordial de inspiração è a minha Mãe África.
Ora, verso da sua cultura e do seu quotidiano.

OVJ: O que te faz acreditar na carreira de escritor?

Ernesto Moamba: diria a tamanha paixão que tenho pela escrita e a vontade que namora-me de continuar a dizer alguma coisa.
Penso que um dia com a minha escrita libertarei ainda mais a penumbra que revesti o continente africano.

OVJ: Quem é Ernesto Moamba?

Ernesto Moamba: Ernesto Moamba é um jovem moçambicano, Humilde e simpatico como qualquer cidadão,  nascido na cidade de Maputo,no bairro nobre da polana caniço, filho da África e da pura essencia de sofrimento humano.
È apaixonado pela escrita desde 2007, embora começou a namorar com toda sinceridade em 2008. A sua temática è marcada pela dor, desespero e o sofrer da sua Mãe África que sublinha esquecido diferentimente de outros continentes.
participa de varias Antologias nacionais e internacionais e representa em Moçambique o departmente do consórcio da Fundação Noemia Bonelli(Brasília).
È membro da academia mundial da cultura e literatura -AMCL, com o patrono Cruz e Souza, ocupando a cadeira 21.

OVJ: Quais são seus planos para o futuro? Um novo livro a caminho?

Ernesto Moamba: Espero com a minha inserçäo no mundo da literatura desevolver ainda mais as minhas capacidades para que chegue nos paltamares mais altos, pois considero-me ainda um embrião.
E quanto aos planos mais concretos daqui alguns anos, se Deus permitir-me como sempre vou publicar mais duas obras que no momento estou a finalizar, falo de livro de romance e a outra de poesia.

OVJ: Para finalizar, deixe-nos suas últimas palavras e convide os leitores para conhecer tua obra.

Ernesto Moamba: Realmente chegou o momento mais triste da minha vida, exactamente ter que terminar esta maravilhosa conversa consigo amigo leitor, mais dizem que boas coisas duram pouco.

Mas antes de colocar um ponto final tenho a honra de convidar a todos a adquirirem o meu livro disponivel no sites: www.amazon.com.br ou www.editoradocarmo.com
E desejo a todos continuação de um belo dia.

Abraços do filho da África. 
Poste um comentário
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Nenhum comentário :