Artigos

[Artigos][bleft]

Notas Musicais

[Notas Musicais][twocolumns]

O difícil mundo das parcerias entre Editoras e Blogs



Uma pergunta: o que é mais importante, o número de seguidores que um blog tem nas Redes Sociais ou o compromisso com a divulgação com qualidade de livros?
Bom, quando eu decidi colocar o blog O Viajante das Estrelas no ar, em 01 de Agosto de 2014, não tinha como objetivo obter parcerias com editoras. Estava colocando o blog no ar para pôr em prática o meu amor pela leitura, pelos livros.

Acontece que, um indica uma coisa aqui, outro ali... acabei me estimulando a estabelecer parcerias com editoras. Enviei algumas solicitações à editoras que me reponderam pedindo para aguardar a abertura de inscrições para tal procedimento. Outras, sequer responderam. Pois bem! Aguardei o início do ano (período em que geralmente se inicia este processo) e inscrevi o meu blog em dezenas de processos de editoras internet a fora.

O que pude perceber? 99% das editoras se preocupam apenas com números. Mesmo que estes números sejam de origem fraudulentas, a única coisa que importa é que tenha números expressivos. Até mesmo aquelas que colocam regras com o mínimo de 50, 100, 150, 200... seguidores, ao término do processo e divulgação dos escolhidos, não há um blog com menos de 1000 seguidores.

Editoras não conhecem e não se importam em entender o grau de dificuldade que é para se conquistar uma única curtida em uma página do Facebook ou seguidor em um blog. Digo, honestamente. Prova disso? Uma editora chegou ao cúmulo de exigir, NO MÍNIMO, 5.000 seguidores na fanpage para parceria. Eu disse: CINCO MIL. Porra! (desculpe o termo).
Existem diversos grupos de blogueiros para qualquer todo tipo de assunto: moda, música, filmes, atc. Porém, a maioria dos grupos são de blogueiros literários. Todos estes grupos levam ao mesmo assunto: troca de seguidores. É mais ou menos assim: me segue que te sigo de volta, curte minha página que eu curto a sua, comenta no meu blog que eu comento no seu...

A maioria dos blogueiros (como eu) são "autores" de blogs literários e eles criam blogs com o intuito de obter parcerias com editoras. Editoras, por sua vez, exigem um número alto de seguidores no blog e nas respectivas Redes Sociais para estabelecer esta parceria. Diante disto, as pessoas criam estes grupos no Facebook e milhares de outros entram para obter trocas de curtidas, seguidores, etc... e obter parceria com editoras. É uma corrida desenfreada e sem união. Se você entrar em um destes grupos e pedir para curtir sua página sem mencionar "sigo de volta", corre-se o risco de ser expulso do grupo. Não, não é exagero. 
Acredito que as editoras não sabem que 90% dos blogueiros só estabelecem parcerias se estas os enviarem livros. Sem livro, não há divulgação. Essa é a lei. E quando esta editora estiver nu fundo do poço, não vai sobrar um blog parceiro para contar histórias.
Felizmente, não penso desta forma. Prova disso? Faço divulgação em meu blog indiferente da editora ser parceira ou não. Entretanto, preferencialmente, as minhas divulgações são mais voltadas àquelas que estão começando e não tem muitos recursos. Tal qual àqueles escritores em mesma situação.

Meu blog não tem como exigência receber livros para leitura e divulgação. A divulgação pode ser feita sem a necessidade de ter o livro físico em mãos. É questão de força de vontade. Claro! Não serei hipócrita em dizer que eu não quero receber o livro. Pelo contrário. Eu quero receber livros, até porque eu amo ler, mas não é uma necessidade. 
Estou transformando o layout do meu blog. Estou fazendo uma reformulação muito grande, até mesmo para comemorar 01 ano ar. Dentro de um mês, um novo Viajante das Estrelas entrará no ar. Com mais ênfase no slogan "Das Estrelas às Letras". E com nenhum foco à parceria com editoras, exceto a Editora Filhos do Vento que foi a única que não se preocupou com números e se dispôs a formar parcerias com o blog e tantos outros. Envie um e-mail para eles e me responderam gentilmente e sem pré-requisitos absurdos. Serei eternamente grato por isso e farei quantas divulgações forem necessárias, em todas as Redes Sociais em que o Viajante está presente (e não são poucas).
João Paulo
Post A Comment
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

5 comentários :

  1. Concordo com seu pensamento e acho ridículo esse tipo de coisa.

    www.gapsamakeup.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. João muito realista e corajoso o seu texto. Parabéns cara! Hoje, as editoras visam apenas números de seguidores em fanpages, independentes desses números serem provenientes de sites de trocas ou compras de curtidas. Conheço páginas na net que estão em atividade há pouco menos de dois anos e já contam com 18 mil seguidores! Quer mais? O conteúdo dessas páginas chega a ser risível, beirando o surreal. E agora, o golpe de misericórdia: tais páginas tem parceria com editoras. Cara, é fod..., de fato. Escrevi no meu blog um post sobre esse lance de parcerias, mesmo correndo o risco de ficar queimado com algumas editoras, mas é a minha opinião. Até agora, das seleções que o "livros e Opinião" participou foi rejeitado em todas. Vou continuar tentando, mas sem mudar a minha ideologia.
    Deixo o link do post abaixo para aqueles que quiserem ler.
    Abraço!

    José Antônio
    www.livroseopiniao.com.br
    LINK:
    http://www.livroseopiniao.com.br/2015/04/as-temiveis-parcerias-entre-blogs.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela visita no blog e por ler o post, José! Olha, eu criei o blog por amor e mantenho ele por amor. Não preciso de editoras para mantê-lo ou para enviar livros. Não temo ficar "queimado" com as editoras, pois não tenho como objetivo criar vínculos com nenhuma delas. Elas menosprezam os blogs "pequenos", mas se esquecem que eles podem crescer.

      Excluir
  3. Recentemente fui de encontro a uma outra situação complicada.Eu NUNCA peço autores pra fazer parceria comigo e me mandarem livros, mas gosto de dialogar com eles e comprar o livro. E já aviso de cara: se eu gostar do livro provavelmente falarei dele no blog, se não gostar não falarei (o que não gosto eu descarto, acho melhor do que fazer uma resenha detonando). Esses dias adquiri um livro, que pra mim, pode ser um dos piores lixos já escritos. Dai fiz uma busca de resenhas desse livro em blogs, os que fizeram declararam que receberam o livro através de parceria com o autor e falavam bem pra caramba do livro. Dai fiquei pensando, o livro pode não ser tão ruim assim, pode ser apenas meu jeito de vê-lo, mas fiquei pensando ainda mais: será que não foi a parceria que fez a pessoa desenvolver uma resenha desonesta falando bem de algo indigesto?

    ResponderExcluir