Artigos

[Artigos][bleft]

Resenhas

[Resenhas][twocolumns]

Série Gramática: Fonética



Você está com dúvidas a respeito da nova ortografia? A gramática, definitivamente, não é o seu forte? Então, você está no lugar certo!

A coluna "ESCOLA" foi criada especialmente para abordar diversos assuntos relacionados ao uso da Língua Portuguesa. Esse é o lugar ideal para você trocar informações, opiniões e dicas a respeito do nosso idioma. Além de esclarecer suas dúvidas.

A partir de hoje, 13/04/2015, o blog O Viajante das Estrelas inicia uma série de conteúdos sobre a Gramática da Língua Portuguesa. Semanalmente, sempre às segundas-feiras, o blog disponibilizará um conteúdo sobre a Gramática com o objetivo de promover o estudo da forma, a composição e a inter-relação das palavras dentro da oração ou da frase, bem assim o seu apropriado ou correto uso.

Na semana de estreia, o blog tira suas dúvidas sobre a FONÉTICA. Vamos começar? Vamos. Antes, vamos fazer uma breve introdução sobre a origem da Língua Portuguesa:

O galego-português foi a língua falada durante a Idade Média nas regiões de Portugal e da Galiza. Dela descendem as atuais línguas portuguesa e galega. A língua portuguesa é uma língua românica (língua latina ou língua neolatina) que se originou no que é hoje a Galiza e o norte de Portugal.

À medida que Portugal ia expandindo o domínio de seu império, através de suas colônias no século XV e XVI, a língua portuguesa foi se espalhando mundo afora, estendendo-se desde a costa Africana até Macau, na China e ao Brasil, nas Américas. Hoje, o português é a língua oficial de nove países independentes (Angola, Brasil, Cabo Verde, Timor-Leste, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe).

Assim como os outros idiomas, o português sofreu algumas alterações com a evolução histórica, sendo influenciado por vários idiomas e dialetos, até chegar ao modo como falamos hoje. Atualmente a língua portuguesa compreende vários dialetos e subdialetos, falares e subfalares, muitas vezes bastante distintos, além de dois padrões reconhecidos internacionalmente: o português brasileiro e o português europeu.

A língua própria do Brasil seria o tupi, falado pela maior parte dos nossos indígenas, mas o tupi foi inteiramente suplantado pelo português. O português falado no Brasil é diferente do português falado em Portugal. O português falado no Brasil deve-se à mistura com o tupi com os falares dos africanos introduzidos no país.




Gramática é o estudo dos elementos essenciais de uma língua. Pode ser: expositiva ou normativa, histórica e comparativa.

Veja:

- A Gramática Expositiva ou Normativa expõe os fatos atuais de um idioma. Sua função principal é estabelecer normas para o bom uso da língua;

- A Gramática Histórica estuda a origem e a evolução de uma língua até a época presente;

- A Gramática Comparativa estuda os fatos de um grupo línguas pertencentes ao mesmo gênero, expondo as semelhanças ou dessemelhanças entre elas.

A Gramática é dividida em três partes. São elas: Fonética, Morfologia e Sintaxe.
Nesta série, veremos as três partes. Que tal começar pela Fonética? Enh? Vamos? Vamos.




APARELHO FONADOR
foto: Google

Fonética é o estudo dos sons da fala, é a língua em sua realização concreta. Desta forma, Fonologia é a ciência que estuda a língua do ponto de vista funcional dos fonemas ( / ) de uma língua, focando-se em como eles se organizaram dentro do sistema linguístico.

A Fonética estuda os sons da fala e a Fonologia estuda a função desses sons dentro de uma determinada língua

A fonética pode ser divida em três ramos:

- DESCRITIVA: trata da formação e descrição dos fonemas;
- HISTÓRICA: estuda as modificações que sofrem os fonemas;
- SINTÁTICA: estuda as modificações que sofrem os fonemas de certas palavras quando, por influência de outras que a elas se associam, formam um todo fonético. 

FONEMAS

Fonemas são os sons que entram na formação das palavras e compreendem, de modo geral, as vogais, as semivogais e as consoantes

- Vogais são fonemas que saem livremente pelo canal bucal (espaço compreendido entre a laringe e os lábios);

As vogais podem ser:

a) Orais: quando o ar sai apenas pela boca.

Exemplo: /a/, /e/, /i/, /o/, /u/.

b) Nasais: quando o ar sai pela boca e pelas fossas nasais.

Exemplo: /ã/:  fã, canto, tampa, manta

c) Átonas: pronunciadas com menor intensidade.

Exemplo: até, bola

d) Tônicas: pronunciadas com maior intensidade.

Exemplo: até, bola

- Semivogais:  Entre as vogais e as consoantes, temos as semivogais, ou seja, os fonemas i e u que, juntos a uma vogal, formam uma sílaba. O som delas é mais "fraco" do que o das vogais normais. 

Exemplo: na palavra riso, o i é vogal, mas em rei, vários, é semivogal. O u é semivogal em meu, quatro, guarda.

- Consoantes são fonemas produzidos com obstáculos à passagem da corrente respiratória. 

Exemplo: /b/, /c/, /d/, /v/, /l/, /m/...

IMPORTANTE: Não devemos confundir fonema com letra. Fonema é uma realidade acústica, realidade que nosso ouvido registra; enquanto letra é o sinal empregado para representar na escrita o sistema sonoro de uma língua.

ENCONTROS VOCÁLICOS

A presença na mesma sílaba de dois sons vocálicos (vogal e semivogal) constitui o encontro vocálico, que é classificado em ditongo, tritongo e hiato.

DITONGO é a sucessão de vogal e semivogal ou vice-versa, na mesma sílaba. Os ditongos são classificados em: crescentes e decrescentes

São crescentes quando a vogal figura em segundo lugar (semivogal antes da vogal). Ex: piada (i = semivogal, a = vogal)

São decrescentes quando a vogal vem em primeiro lugar (vogal antes da semivogal). Ex: vai (a = vogal, i = semivogal)

Os ditongos são orais quando emitidos somente pela boca, e nasais, quando emitidos pela boca e nariz.

TRITONGO é a sucessão de semivogal, vogal e outra semivogal, na mesma sílaba. Pode ser oral ou nasal.

Exemplos: Paraguai - Tritongo oral
                  quão - Tritongo nasal

HIATO é a sucessão de duas vogais em sílabas diferentes. 

Exemplos: saúde, saída, baeta.

ENCONTROS CONSONANTAIS

Dá-se o nome de encontros consonantais à sequência de consoantes num vocábulo. 

Exemplos: pedra, plano, atleta, pneu.

Na Língua Portuguesa, existem dois tipos principais de encontros. 

1- As consoantes se ligam intimamente nas sílabas (Ex: blusa, claro, frade, prato);
2- Acontecem entre consoantes de sílabas diferentes (Ex: afta, ritmo, absoluto, adjetivo).

SÍLABA

É o fonema ou grupo de fonemas emitidos numa só expiração. Quanto ao número de sílabas, classificam-se os vocábulos em:

- Monossílabos: uma só sílaba (Ex: fé, pé, mar);
- Dissílabos: duas sílabas (Ex: ra-to, pa-to, ga-to);
- Trissílabos: três sílabas (Ex: ci-da-de, ci-ne-ma);
- Polissílabos: mais de três sílabas (Ex: fa-cul-da-de, re-co-nhe-ci-men-to).

Espero ter ajudado algum viajante que dedicou um pouco de seu tempo para ler essas informações. Deixo claro, que boa parte do conteúdos aqui publicado vem de orientações de professores espetaculares de Língua Portuguesa que tive contato ao longo dos anos e dos que mantenho contato atualmente. Entretanto, realizei algumas pesquisas para poder ajudar vocês e relato logo abaixo. Na próxima postagem da série, iremos entender a MORFOLOGIA. Até breve, viajantes!

Fonte das pesquisas:

Poste um comentário
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Nenhum comentário :