Artigos

[Artigos][bleft]

Resenhas

[Resenhas][twocolumns]

"Eu Nunca vou te Amar" - Por João Paulo

Foto: Google

Enquanto você ficava parado, olhando no fundo dos meus olhos, eu estava viajando. Os pensamentos, o coração, a alma, voavam por um lugar bem distante daquele que seus olhos tentava me proporcionar. Minha vida havia se libertado das correntes que você me submetera. Como tudo na vida, a sua capacidade de me fazer submeter às suas ordens havia chegado ao fim. 

Jamais me esquecerei dos dias de piquenique no Parque do Ibirapuera, pois eram momentos felizes. Também jamais me esquecerei dos dias de lágrimas e desespero no escuro do meu quarto. 

Acho que nunca te amei, como previu e advertiu minha querida e sábia mãe. Pena que eu não a escutei. Não a escutei porque a paixão que você me fez sentir cegou-me completamente. Fechei meus olhos e tapei meus ouvidos para me entregar completamente a você, pois, você, me fazia sentir a mulher mais feliz do mundo. 

Os primeiros dias de namoro eram lindos e perfeitos. Me sentia andando nas nuvens quando estava ao seu lado. Dia após dia, sorrindo e você retribuindo. De fato, eram dias perfeitos. E o casamento? Ah, o casamento! Juras e mais juras de amor que se desmoronaram alguns dias mais tarde.

Tive noites difíceis e pesadelos avassaladores.  A extensão de nossa cama transformou-se em chamas a me consumir incessantemente. Desespero, arrepios, marcas, cicatrizes, tormentos... Você transformou a minha vida num inferno até que a voz do anjo me falou: "Liberte-se" e eu tomei coragem para me livrar de você.

Confesso que até hoje eu não consigo mensurar o seu impacto sobre a minha vida. Meus sentimentos ficaram bagunçados e receosos de se unir a novos sentimentos. Às vezes, eu ainda me pego pensando em você e eu sinto vontade de te ligar e te xingar. Sinto vontade de correr desenfreadamente até a porta de sua casa, tocar a campainha, esperar você abrir e atirar em você. 

No entanto, mesmo com toda essa confusão de sentimentos e pensamentos, eu jamais conseguiria te procurar. Já tentei, confesso que tentei fazer de tudo o que uma mulher infeliz sente vontade de fazer contra o homem que a fez ou faz infeliz. Juro que tentei. Mas, o máximo que a coragem me permitiu fazer foi te seguir por vários dias e te olhar e te odiar de longe. 

Passaram os dias, passaram as noites, segui minha vida, esqueci você. Concluí meu curso superior, viajei ao exterior, superei o medo de você, me desenvolvi e me tornei uma mulher de sucesso. Hoje posso afirmar que nunca te amei e nunca vou te amar. Minha mãe partiu e lamentei muito por não ter a escutado. Afinal, mãe sempre sabe o que é o certo para seus filhos. 

E hoje, trinta anos depois, estou feliz comigo mesma. Não existe sensação melhor do que me olhar no espelho e me ver bem sucedida. Quanto a você? Não sei! Não te desejo o mal, mas desejo que você abra os olhos e entenda tudo o que a vida estiver te dando, porque você está recebendo a resposta de suas ações.


Escrito por: João Paulo
Poste um comentário
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook
  • Disqus Comment using Disqus

Nenhum comentário :