Leitura concluída: "Armamentista", Joe de Lima

18.1.17


"Armamentista" não é o primeiro livro de distopia que já li, mas foi o que mais me fez me aproximar do tema, até então terreno parcialmente inexplorado por mim.
Joe de Lima é a prova viva de que vale a pena voltar os olhos para publicações nacionais, especialmente para as publicações independentes. Precisamos valorizar mais quem se esforça para levar um trabalho de qualidade para o nosso paladar literário.
Leitura finalizada! Nos próximos dias leia a resenha do livro aqui no blog O Viajante das Estrelas.


Homenagem à Cidade Maravilhosa da Livraria Unesp




Inúmeras vezes se tem comemorado o aniversário do Rio de Janeiro no dia do seu santo padroeiro, São Sebastião, em 20 de janeiro. Mas a data oficial de fundação é 1º de março de 1565, quando Estácio de Sá expulsou os franceses instalados na Baía de Guanabara e ali fundou a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. De qualquer maneira, as duas datas são feriados municipais.

Em homenagem à terra da garota de Ipanema, eternizada nos versos de Tom Jobim, a Livraria Unesp oferece 20% de desconto em todos os livros sobre o Rio de Janeiro até 23 de janeiro.
Promoção válida na livraria virtual, www.livrariaunesp.com.br
e na loja física, Praça da Sé, 108 – Centro – São Paulo
Frete não incluso. Promoção não cumulativa.

Foto e texto: Livraria Unesp


Os sete pecados do leitor

17.1.17



* A Soberba: A soberba de um leitor é querer estar sempre acima do livro que está lendo. O leitor soberbo é desdenhoso. Sempre considera que o que está lendo está abaixo de seu nível e isto o impede de apreciar um bom livro. Eu prefiro as pessoas que admiram do que as pessoas que desprezam.

* A Ira: Como tudo o que toca a paixão, a literatura pode se tornar em um instrumento de fúria. À ira do leitor identifica-a com essa espécie de fervor que às vezes um sente por ler um livro. Grandes autores têm destacado sempre a invectiva e têm escrito sempre "o contra". Livros magníficos que destroem ideias, costumes ou a outros autores. Às vezes também podem acordar em um uma espécie de “santo coragem” na contramão de alguma coisa.

* A Avareza: A avareza do leitor é indesculpável; avarento é aquele que nunca quer emprestar um livro (claro que ainda não aprendi a praticar o desapego, reconheço, sou bibliófilo), mas também o é o que defende seu tempo para ler. Há tanta gente que tira um tempo para nos dizer: "Como vejo que não está fazendo nada...". Como que não faço nada? Estou lendo!!!

* A Gula: Aqui tenho vários exemplos de gula de leitor, especialmente aqueles que vão acumulando os livros que querem ler e têm muitos. E eles sabem que amanhã podem ir à livraria e voltar com outros tantos. As pessoas dizem: "Se não tem tempo, porque compra tantos livros?". Mas eu não posso resistir. É mais forte que eu.

* A Luxúria: A luxúria é uma espécie de prazer quase inconfessável. Às vezes um não se atreve a dizer que desfruta mais com um livro do que com aquela realidade que o livro está contando. Aldous Huxley, escritor inglês, disse que é muito mais excitante ler a descrição de uma orgia do que participar dela. Se você está participando sentirá incômodo, pudor, mas quando a está apenas lendo, tudo é puramente sexual.

* A Inveja: A inveja, nos leitores que além de ler, escrevemos, consiste nesse sentimento que aparece quando lê um livro e pensa: "Eu queria ter escrito isso".

* A Preguiça: Preguiça é deixar as coisas para amanhã. O leitor preguiçoso é a pessoa que te diz: " Eu gostaria de ler, mas não tenho tempo". Mas acontece que ele não tem tempo para nenhuma das coisas boas da vida, no sentido linear. Nunca está concedido de antemão; um sempre tem que priorizar outras coisas supérfluas.

“A importância e a contribuição da literatura lusófona para o intercâmbio da literatura contemporânea”

16.1.17


Na data de ontem (15/01/2017) aconteceu o primeiro debate virtual do grupo “Lusofonidades - Divulgando literatas lusófonas”, moderado pelo escritor moçambicano Ernesto Moamba, sob o tema: “A importância e a contribuição da literatura lusófona para o intercâmbio da literatura contemporânea”. O encontro contou com a participação de grandes escritores, poetas, e amantes da literatura lusófona promovendo a troca de conhecimentos e discutindo os avanços da literatura na lusofonia.

A discussão sadia acerca do tema pelos participantes mostraram a sintonia do grupo em relação à produção literária e a importância da literatura na atualidade. Para o moderador, Ernesto Moamba, é muito importante sabermos que a literatura é a arte de compor e expor escritos artísticos, em prosa ou em verso, de acordo com princípios teóricos e práticos; o exercício dessa arte ou da eloquência e poesia. Ele ainda ressalta que a literatura lusófona tem contribuído tanto na massificação da escrita, trazendo assim novas experiências e horizontes ao amante da arte literária. Dorismeire Almeida Vasconcelos olha a literatura lusófona com um olhar de admiração pela forma como os escritores lusófonos diante de tantos desafios conseguem avançar além-mar e colocar no papel a alma de sua história e origem e fazer desabrochar grandes obras. Já para o poeta Meque Raul Samboco a literatura lusófona é um instrumento utilitário da escrita que une as nações da língua portuguesa sem fronteiras, raças, cores, religião, ideologia política, etc.

O debate estabeleceu alguns pontos importantes para o avanço da literatura na lusofonia como:

  • A criação de espaços para ações de divulgação da literatura;
  • Promover o acesso a leitura a todas as pessoas;
  • Ajudar os estudantes a descobrir ou redescobrir o prazer pela leitura;
  • Combater o preconceito e preconceito linguístico;
  • Uma maior integração entre os lusófonos, seja por meio físico ou por meio virtual;
  • A união entre escritores, para que possamos crescer e caminhar juntos;
  • Exigir dos respectivos governos políticas públicas que ocasionam ações de promoção e acesso à leitura.

Para fortalecer estes itens e promover o avanço da literatura na lusofonia, é necessário que possamos caminhar juntos, um ajudando o outro, sem vícios, sem preconceitos, apenas com um olhar de irmãos. Cada a sua maneira, mas todos no mesmo propósito, no mesmo ideal, conseguiremos romper as barreiras que nos são impostas. Encontros como esse que aconteceu ontem dão mais valor à literatura. A publicação de livros, textos, artigos, vídeos, etc, em Redes Sociais ajudam a promover o intercâmbio cultural entre nações.



Hoje é comemorado o Dia do Leitor, no Brasil!

7.1.17



Neste sábado (7), celebra-se o Dia do Leitor, data criada para homenagear anualmente as pessoas que simplesmente têm o prazer de ler uma boa história e que encontram no livro o verdadeiro amigo.


De acordo com o blog Clube do Livro de Satolep, a comemoração do Dia do Leitor surgiu a partir do aniversário do jornal cearense “O Povo”, que foi fundado em 7 de janeiro de 1928 pelo poeta e jornalista brasileiro Demócrito Rocha.


Neste jornal, que ficou conhecido por combater a corrupção e divulgar fatos políticos, existia um suplemento chamado “Maracajá” que se tornou um espaço de divulgação do movimento modernista literário cearense na época.


A literatura ainda é celebrada no Brasil em outras datas ao longo do ano, como o Dia da Literatura Brasileira, comemorada anualmente em 1 de maio; o Dia Internacional do Livro Infantil, em 02 de abril; e o Dia Nacional do Livro, em 29 de outubro.


O blog O Viajante das Estrelas deseja um Feliz Dia do Leitor à todos os leitores do Brasil. E que a cada ano, mais leitores possam surgir.

“Se uma palavra pode mudar tudo, imagine um livro inteiro”, João Paulo Silva
Lusofonidades - Divulgando Literatas Lusófonas: Primeiro debate virtual de 2017

4.1.17



Olá, queridos leitores! Como vão? Tenho um convite para fazer a todos vocês, mas antes, gostaria de lhes fazer uma pergunta:
Vocês sabem o que é a lusofonia?
Bom, o termo lusofonia é composto por dois grandes elementos: “luso”, que significa português; e “fonia”, que quer dizer fala. Deste modo, quando falamos em “lusofonia”, estamos falando dos falantes da língua portuguesa. .
De acordo com o site Wikipedia, lusofonia é a comunidade formada por todos os povos e as nações que compartilham a língua e cultura portuguesas como Angola, Brasil, Cabo Verde, Galiza, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste, Goa, Damão e Diu e por diversas pessoas e comunidades em todo o mundo. O Dia da Lusofonia é comemorado em 5 de maio, dia esse dedicado à língua, cultura e expressão portuguesa.
Agora que tivemos uma pequena, mas valiosa noção do que é a lusofonia, quero lhes fazer um grande convite.
No dia 15 de Janeiro de 2017, às 20h00 (horário de brasília), acontecerá o maior encontro dos escritores lusófonos. O tema será o seguinte:
“Importância da Literatura Lusófona e sua contribuição no Intercâmbio da Literatura Contemporânea.”
O evento será online e contará com a moderação do grande escritor moçambicano Ernesto Moamba.
Ernesto Moamba

O evento também contará com as participações dos poeta e escritores: Gerson Clayton R. dos Santos, Samuel da Costa, Marcello Silva, Clarice da Costa, Meque Raul Samboco e Luiza Catanhéde.
Todos vocês estão convidados a participarem. O evento será transmitido direto do grupo no Facebook: “Lusofonidades- Divulgando literatas lusofonas”. Para acessá-lo, basta clicar na imagem abaixo: